Encrenquinha’s doa para o Abrigo Piccolina 350 doses de vacina V-8 Pfizer

A vacinação contra cinomose dos cães resgatados do abandono, recuperados e mantidos pelo Abrigo Piccolina está garantida este ano, graças à doação realizada pela Rede Encrenquinha’s, de 350 doses da vacina V-8, da Pfizer. O lote foi entregue por Elias Santos Almeida, proprietário da rede, para Rosana Mercadante, presidente do Piccolina. Essa vacina da Pfizer imuniza também contra parvovirose, leptospirose, coronavirus, adenovirus e outras graves doenças.

rosana abrigopiccolina capa

No Abrigo Piccolina, todos os cães são vacinados anualmente e vermifugados periodicamente. “Contra a raiva, nossos animais são imunizados na campanha pública de vacinação. Mas, no período da vacinação contra cinomose, temos um aumento de despesas significativo, e foi muito importante o gesto da Rede Encrenquinha’s, de ter garantido toda a cota de vacinas para este ano. Só temos a agradecer em nome e centenas de cães resgatados do abandono e do sofrimento por nosso abrigo”, afirmou Rosana Mercadante.

Como faz periodicamente, Elias Almeida doou ainda medicamentos e suplementos para cães do abrigo. O Piccolina é considerado um abrigo modelo e, há 10 anos, resgata cães, recupera, busca adotantes, além de atuar com educação humanitária e pela construção de uma política pública de controle de cães e gatos, com foco na saúde pública e no bem-estar dos animais, na cidade de Avaré.

Elias Almeida observa que “a Família Encrenquinha’s, formada pelas pet shops, o canil, o hotel fazenda, as lojas, as clínicas e laboratórios, atua sempre para garantir o bem-estar e a alegria de cães, gatos e seus donos, que mais do que clientes são membros de nossa família. Com esta filosofia, considero fundamental também colaborar com entidades que exercem uma atuação de ponta na sociedade, em relação à proteção dos animais domésticos, como o Piccolina”.

Rosana Mercadante frisa que “além de trabalhar com seriedade no ramo pet há mais e 20 anos, a Rede Encrenquinha’s atua nas redes sociais e em suas lojas, através de seus médicos veterinários e outros profissionais, sempre divulgando conceitos de posse responsável de animais domésticos, conscientizando contra o abandono e os maus-tratos de cães e gatos”.

O apoio recebido da iniciativa privada, segundo a presidente do Abrigo Piccolina, é fundamental para as instituições que resgatam e recuperam animais criminosamente abandonados pelos donos que deveriam cuidar deles até o final de sua vida. “Todo o mercado pet precisa assumir esse tipo de parceria, até porque a partir do resgate de um animal, ele torna-se um consumidor, de medicamentos, rações, vacinas, exames laboratoriais, assistência veterinária. E ao ser doado, o cão ou gato continuará inserido no mercado de consumo pet, inclusive pelo trabalho realizado pela proteção animal, de conscientização da sociedade sobre a importância de cada família suprir as necessidades físicas e emocionais de seus animais”, observa Mercadante.

Mas em geral a pesada carga de despesas do processo de recuperação e manutenção de um animal resgatado é assumida somente pela ONG ou protetor que salvou esse cão ou gato. “Esse cenário vem mudando, mas ainda lentamente. As empresas e indústrias do mercado pet deveriam ampliar as parcerias com a sociedade civil, que ainda são restritas. O exemplo da Rede Encrenquinha’s é muito importante”, observa a presidente do Abrigo Piccolina.